Hérnias da Parede Abdominal

As hérnias de parede abdominal são projeções de órgãos ou tecidos intra-abdominais por uma região de fragilidade da parede, percebido por abaulamentos na região abdominal associado a desconforto local que geralmente piora ao esforço físico.
Esta área de fraqueza apresenta uma origem multi-fatorial, portanto, aqueles que tem esta doença costuma apresentar menor densidade de uma proteína estrutural das fácias e ligamentos chamada colágeno, associado a algum fator que aumente a pressão intra-abdominal como: tosse crônica, constipação, alterações prostáticas, gestação, esforço físico intenso e obesidade.

Atenção para duas situações cotidianas que são o tabagismo e a gestação. O tabagismo desregula o metabolismo do colágeno e pode gerar quadro de tosse crônica. A gestação aumenta a pressão intra-abdominal pelo crescimento uterino e produz o hormônio relaxina que induz relaxamento muscular, gerando uma predisposição a formação de hérnias.
As hérnias abdominais são tratadas por cirurgia, porém, existem várias técnicas que devem ser consideradas durante a avaliação pré-cirúrgica, pois, dependendo do tamanho da falha, da localização, se é uma urgência ou mesmo pela idade do paciente podemos optar por técnicas e por vias diferentes(convencional ou laporoscópica).

As hérnias inguinais são fragilidades da região inguinal,percebidas como abaulamento na virilha ou em saco escrotal relacionado a dor local ao realizar esforço físico.
A origem desta doença é similar as demais hérnias abdominais,porém, o anel inguinal interno, onde passam os vasos testiculares e o deferente,comunicando a cavidade abdominal e bolsa escrotal,em pessoas predispostas a formação de hérnia é mais um local de fragilidade.
A correção das hérnias inguinais são realizadas por dois acessos cirúrgicos: inguinotomia(incisão na pele da região inguinal a cerca de 10cm) ou videolaparoscopia(3 incisões de 0,5-1,0cm).A via cirúrgica depende das indicações e da avaliação cirúrgica de cada caso.